Harmonia de Poderes não é atrelamento, diz: Leandro Soares Machado

É comum na vida política da cidade a ideia de bancadas de Vereadores, cada uma delas pode representar uma situação, oposição e chamada bancada independente.

Desta maneira, a Câmara Municipal estabelece um relacionamento institucional com o Poder Executivo.

Na atualidade cerca de 90% (noventa porcento) das propostas de Lei partem do Poder Executivo, ficando os Vereadores com a tarefa de exercer a fiscalização e ação legislativa propriamente dita.

O modo de pensar do candidato a Vereador, Leandro Soares Machado, estabelece um trabalho de uma relação institucional, marcada pelo estudo técnico de cada proposta, inclusive a dos próprios Vereadores, concretizando a existência real de uma postura harmônica, respeitando a independência do Legislativo.

“Tenho me preparado ao longo dos anos, buscando entender e materializar projetos que atendam às necessidades da população ponta-grossense.

Desta forma, atuarei de maneira expressiva nas comissões internas da Câmara Municipal, revisando, modernizando e adequando as Leis do município, para que atendam de forma plena os reais anseios da população.

Não podemos aceitar o atrelamento servil, ou seja, a submissão diante da aprovação de projetos que afrontem interesses sociais e coletivos dos munícipes.

No meu plano de trabalho estabeleço que deve haver:

Melhoria do relacionamento constante com o Poder Executivo, sem atrelamento servil.

Eu tenho a certeza que não desviarei deste objetivo, simplesmente porque anula moralmente o Vereador e o torna insignificante ‘traindo o povo’.

Votar com consciência e conhecimento das propostas é missão dos eleitores, para que o exercício do voto seja democrático e libertador da velha política. Somente assim teremos um Vereador de verdade”.

Conheça os 20 eixos do Plano de trabalho do candidato a vereador CLIQUE AQUI