Temos que rever tributos, afirma: Leandro Soares Machado

A constante discussão sobre a necessidade de arrecadação municipal e a capacidade do contribuinte, vem sendo debatida em Ponta Grossa pelo menos desde de 1930 na chamara “Era Vargas”.

Leandro Soares Machado, candidato a Vereador, narra a respeito do tema.

“O equilíbrio entre receitas e despesas não tem sido bem conduzido, tanto na área da União, Estados e Municípios.

Na recente audiência pública sobre o orçamento municipal, ficou evidenciada a situação de visível descontrole, pois, a Prefeitura vai ganhar um novo dirigente com uma dívida mensal de mais de 3 (três) milhões de reais relativo a precatórios, sem contar dívidas de empréstimos e manutenção da “máquina administrativa”.

90% (noventa porcento) dos municípios brasileiros vivem do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), revelando que existem falhas relativas à entrada de dinheiro dos contribuintes.

O Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), apresenta inadimplência de mais de 20% (vinte porcento), sem falar nos outros tributos, taxas e contribuições que ficam na ordem de 5 (cinco) a 10 (dez) porcento de déficit.

Todos sabem que aumentar receita e reduzir despesas é o caminho básico. Lembro que o Vereador que for eleito não pode propor nada que aumente as despesas ou reduza a receita.

O que fazer então?

Podemos aumentar a base contributiva aumentando impostos?

Não, acredito não ser uma boa opção. Podemos reduzir o gasto público diminuindo o desperdício de recursos.

E quanto ao incentivo aos setores empresariais e comerciais?

Existem vários incentivos tributários, atingindo empresas menores, porém, temos que estudar a situação das médias e grandes empresas.

Por isso proponho no 14º eixo do meu Plano de Trabalho:

Revisão da legislação tributária ampliando os benefícios aos setores: empresarial, comercial, industrial, agrícola e pecuária.

Temos que ver um programa melhor para aos inadimplentes, tendo como base o bom incentivo para os que pagam em dia.

Além disso, economizar fortemente é outra ação que deve ser seguida. Para acompanhar tudo isso, precisamos de um Vereador de verdade”. 

Conheça os 20 eixos do Plano de trabalho do candidato a vereador CLIQUE AQUI